cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    O Som ao Redor: Diretor é desafiado por executivo da Globo Filmes

    A briga esquentou quando Cadu Rodrigues, diretor-executivo da Globo Filmes, mandou um desafio a Mendonça.
    Por Daniel Reininger
    26/02/2013

    O crítico de cinema e cineasta Kleber Mendonça Filho, de O Som ao Redor, sempre deixou claro que desaprova o sistema de produção adotado pela Globo Filmes.

    A briga esquentou quando Cadu Rodrigues, diretor-executivo da Globo Filmes, mandou um e-mail na lista Cinebrasil com um desafio a Mendonça.

    Ele escreveu: “Peço copiar a quem interessar, desafio o cineasta Kleber Mendonça Filho a produzir e dirigir um filme e fazer 200 mil espectadores com todo apoio da Globo Filmes! Se fizer, nada do nosso trabalho, será cobrado do filme dele. Se não fizer os 200 mil, assume publicamente que, como diretor, ele é, talvez, um bom critico”.

    O cineasta respondeu à provocação de Rodrigues pelo Facebook:

    “Preciso lhe agradecer pelo desafio, mas sua proposta associa a não obtenção de uma meta comercial (200 mil espectadores) como prova irrefutável de que eu não seria um cineasta. Isso não me parece correto, pois o valor de um filme, ou de um artista, não deveria residir única e exclusivamente nos número$. Sobre ser crítico ou cineasta, atuei como ambos e meu discurso permanece o mesmo, e sempre foi colocado publicamente, e não apenas em mesas de bar: o sistema Globo Filmes faz mal à ideia de cultura no Brasil, atrofia o conceito de diversidade no cinema brasileiro e adestra um público cada vez mais dopado para reagir a um cinema institucional e morto”, escreveu.

    Ele não deixou barato e ainda desafiou a companhia. “Devolvo eu um outro desafio: Que a Globo Filmes, com todo o seu alcance e poder de comunicação, com a competência dos que a fazem, invista em pelo menos três projetos por ano que tenham a pretensão de ir além, projetos que não sumam do radar da cultura depois de três ou quatro meses cumprindo a meta de atrair alguns milhões de espectadores que não sabem nem exatamente o porquê de terem ido ver aquilo”.

    As declarações de ambos repercutiram pela internet e a produtora Vania Catani, produtora de O Palhaço (produzido pelo Telecine), elogiou, em seu perfil no Facebook, “a elegância e o equilíbrio” na resposta do cineasta.

    O Som ao Redor não tem apoio da Globo e em seus quase 2 meses em cartaz atraiu mais de 80 mil espectadores aos cinemas, resultado que agrada aos produtores e distribuidores do longa. O filme foi escolhido pelo New York Times como um dos melhores do ano.