cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Pinóquio: a verdadeira e aterrorizante história por trás do conto de fadas

    O conto original é marcado por manipulação, violência e tragédias
    Por Cauê Nessin
    21/05/2021 - Atualizado há 5 meses

    Mensagens inspiradoras e personagens amigáveis são características marcantes em todos os clássicos da Disney, que fizeram (e ainda fazem) parte da infância de crianças de diversas gerações. 

    Mas as histórias reais por tras dos contos de fadas mais famosos não têm nada de agradável. Diferente da animação de 1940, o Pinóquio original, de Carlo Collodi, é marcado por manipulação, tragédias e violência.

    Versão da Disney

    No clássico animado de 1940, Pinóquio é um boneco de madeira criado por Gepeto, que acaba se metendo em várias confusões por não ouvir os conselhos de seu criador e seu amigo, o Grilo Falante. O nariz do boneco cresce a cada mentira contada para esconder suas travessuras.

    Seu sonho é se transformar em um menino de verdade, mas, para ter esse desejo realizado Pinóquio precisa parar de mentir e se tornar alguém melhor.

    Em um momento da trama, ele acaba salvando seu criador que estava preso dentro de uma baleia e, por fim, com ajuda da Fada Azul, Pinóquio tem seu desejo realizado e se torna humano.

    Cena da animação Pinóquio (1940)Reprodução

    Versão de Carlo Collodi

    O livro As Aventuras de Pinóquio, de 1883, é um compilado de tirinhas de Carlo Collodi que eram publicadas em forma de seriado em um jornal italiano.

    Na trama original, Gepeto ganha um presente inusitado: um pedaço de madeira falante. Então, decide dar vida a essa peça inanimada e esculpe Pinóquio.

    O sonho de Gepeto era ter um filho para amar e cuidar, mas acaba se decepcionando rapidamente. Antes mesmo de ficar pronto, o boneco já se comportava muito mal. Pinóquio chuta o nariz de Gepeto logo após ganhar um corpo, não ouve seus conselhos e o manipula para fugir de casa.

    Bem diferente da versão da Disney, Pinóquio se irrita quando o Grilo Falante tenta aconselhá-lo a ser menos rebelde e o acerta com um martelo na cabeça, causando a morte do amigo.

    Em sua jornada mundo afora, Pinóquio vive diversas aventuras, entre elas, uma história um tanto pesada para integrar um filme da Disney

    O boneco vende seus livros escolares para ir a uma apresentação de marionetes. No caminho,  se depara com uma raposa e um gato que tentam roubá-lo. Pinóquio tenta fugir, mas  acapa sendo capturado pelos animais.

    Os sequestradores o enforcam em uma árvore usando suas próprias cordas. A história termina com os malfeitores assistindo Pinóquio agonizando até a morte e Gepeto sendo engolido por um tubarão.

    Imagem do livro As Aventuras de Pinóquio (1883)Reprodução

    Na época em que esse aterroizante final foi lançado, Carlos Collodi recebeu muitas críticas de seus leitores e decidiu lançar um novo personagem para acompanhar e instruir Pinóquio, a Fada Azul, dando uma nova conclusão à trama. A fada usa seus poderes mágicos para trazer o boneco de volta à vida, mas, Pinóquio não aprende a lição e volta a mentir.

    Em uma nova aventura, o boneco viaja ao País dos Brinquedos, uma terra onde não é obrigatório estudar. Por causa disso, todas as crianças do lugar acabam se transformando em burros. Pinóquio, mesmo em forma de animal, continua a aprontar. Por fim, é capturado e assassinado mais uma vez.

    No entanto, esse episódio não se passava de um sonho que o boneco teve, no qual a Fada Azul diz que "um menino que tem um bom coração merece o perdão". Pinóquio acorda, não como um burro ou um boneco de madeira, mas sim como um menino de verdade.

    A moral da história

    No clássico da Disney, a moral da história é que a mentira gera consequências ruins e que devemos respeitar os pais.

    A mensagem do conto original de Collodi é um pouco mais profunda. Pinnochio significa pinhão, no italiano falado na Toscana, que nada mais é do que um pedaço de madeira não totalmente esculpido, isto é, que não está totalmente pronto.

    Em sua fábula, Collodi mostra que Pinóquio, embora não seja um menino de verdade, tem muitas características humanas negativas. Ele não respeita seu pai, não ouve conselhos, se mete em confusões, mente e foge de suas responsabilidades, Porém, no final da história, percebe seus erros, se arrepende e termina como uma pessoa melhor.

    Resumindo, trata-se de viver a vida, ver o mundo, errar, se arrepender e amadurecer. Como disse o filósofo e historiador, Benedetto Croce, "a madeira com a qual Pinóquio foi esculpido é a própria humanidade".

    Cena do filme Pinóquio (2019)Reprodução

    Veja mais