cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Por que o Céu da Meia-Noite, aguardado filme de George Clooney, flopou?

    Longa da Netflix dirigido e estrelado pelo astro prometia ser um dos grandes filmes do ano
    Por Duda Smilari
    05/01/2021 - Atualizado há cerca de 2 meses

    O Céu Da Meia-Noite prometia ser um dos grandes filmes do ano, mas suas falhas são notáveis

     

    O novo filme dirigido por George Clooney está entre os principais filmes comentados pelo Letterboxd no final de 2020, mas, ao contrário do esperado, as críticas foram bem negativas em relação a trama desenvolvida pelo diretor e, por esse motivo, comentaremos algumas falhas que fizeram O Céu da Meia- Noite não ter sido bem recebido pela crítica e pelos espectadores.

     

    Sinopse

    O filme conta a história Agostine (George Clooney), um cientista solitário no Ártico que vive um mundo pós-apocalíptico. Agostine tenta impedir que Sully (Felicity Jones) e seus colegas astronautas voltem para terra antes de uma misteriosa catástrofe global, mas sua vida acaba sendo compartilhada com uma criança misteriosa que aparece em sua casa.  

    Opinião

    O Céu da Meia-Noite (The Midnight Sky) segue o estilo de filme já visto em muitos longas durantes esses anos, com uma semelhança de ambientação vista em Passengers, e uma narrativa ambiental de colapso global vista em vários filmes apocalípticos. 

     

    Porém, Clooney coloca dois núcleos que, simultaneamente, trabalham juntos e esses são os astronautas que procuram um planeta adaptável para os seres humanos e acabam sofrendo vários problemas técnicos no espaço, e a realidade de Agostine: o cientista que tenta sobreviver ao planeta Terra com o aquecimento global em seu auge. 

     

    Assim, esses dois núcleos acabam diminuindo o interesse do espectador aos acontecimentos com o próprio protagonista, que poderiam ser muito bem explorados, fazendo o clímax ser mal desenvolvido pela falta de dinamismo entre as duas realidades, com diálogos frios e cenas longas sem aprofundamento nos personagens. Além do mais, as atuações entre Agostine e a menina misteriosa que aparece durante sua vida no Ártico são extremamente robotizadas e nada convincentes. 

     

    Realmente, O Céu da Meia- Noite tem muitas falhas que fizeram com que ele não agradasse como poderia, e isso pode ser considerado pela falta de empatia que a narrativa transmite entre os personagens durante às 2h de filme e uma dinâmica lenta entre as cenas.