cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Por que Round 6 está bombando tanto?

    Série se tornou um dos maiores sucessos da Netflix e bateu até La Casa de Papel
    Por Daniel Reininger
    30/09/2021 - Atualizado há 18 dias

    Round 6 se tornou um enorme sucesso na Netflix, superando até mesmo o fenômeno La Casa de Papel, de acordo com o chefão do streaming. Nada mais justo, afinal o programa coloca jogadores para enfrentarem jogos mortais até que reste apenas um, que levará um prêmio bilionário em dinheiro e faz tudo isso com uma qualidade inegável. 

    Repleto de acontecimentos chocantes, cada episódio é mais desesperador que o outro e, com uma trama firme e personagens bem construídos, a série ganha cada vez mais popularidade.

    Mas qual o motivo de tanto sucesso? Bem, essa é uma série magnífica, cheia de nuances, ação e emoção, mas só isso não explica sua popularidade.

    Além disso, assim como muitas séries populares, algumas pessoas afirmam que a hype sobre Round 6 é um exagero, afinal, existem outras histórias parecidas como Battle Royalle, Jogos Vorazes e até a primeira temporada de 3%, mas a verdade é que há muitos motivos pelos quais a série recebeu tanto amor e apoio dos fãs e sua base de seguidores cresce continuamente.

    Confira os motivos para o sucesso arrebatador de Round 6:

    Fatores do sucesso

    Chocante

    A série faz um bom trabalho em chocar. Desde que como mostra a vida dos jogadores na Coreia antes delas entrarem no jogo, com foco na decadência e nas dívidas impossíveis de serem quitadas, quanto nas questões familiares de lares conturbados. Quando o jogo começa, a coisa fica ainda mais impactante, você imagina que as pessoas vão morrer, mas o nível de violência e sadismo é muito maior do que o esperado. É realmente uma experiência violenta, caótica e visceral.

    Cena da série sul-coreana Round 6Reprodução

    Emoção

    O programa capta com maestria as emoções dos personagens, muitas vezes com exagero poético, mas nos momentos que mais importam, é fácil entender o que está em jogo para cada um daqueles personagens, seja pelas falas ou expressões ou simplesmente pelo impacto visual. A cada morte de um aliado, sentimos o peso daquilo sobre os outros. Além disso, o desespero é constante e sentimos isso na pele em todo episódio.

    Crítica social impactante

    Rounds 6 está firmemente enraizado em nosso mundo real, o que o torna muito mais aterrorizante e articulado. Sim, o jogo é horrível, mas esse horror é contextualizado na realidade e só é possível porque as condições fora da arena são ainda piores e a série deixa claro tudo isso.

    Embora a série seja bastante crítica, não é excessivamente cínica. Às vezes, os personagens tomam uma decisão implacável. Outras vezes, alguém estende a mão para ajudar um estranho. 

    Normalmente, as pessoas são movidas pelo amor que sentem por sua família - e realmente conseguimos ver tudo isso. No fim, é a diferença brutal entre ricos e pobres e como isso afeta a vida de todos que faz essa série extremamente relevante. Temos visto isso muito no Brasil e ficou ainda mais evidente durante a pandemia.

    Cena da série Round 6, da NetflixReprodução

    Laços de família

    Como comentei acima, a série explora bem os laços de família de todas as pessoas envolvidas. A maioria dos personagens tem relações próximas com os familiares e planejam ajudá-los a sair de situações complicadas. A relação do protagonista Seong Gi-hun com a mãe é tocante e podemos ver o quanto ele a ama, mesmo que não a trate como deveria. Culpa, arrependimento, moralidade, vícios, dificuldades profissionais e outras questões aparecem como elementos que abalam as estruturas familiares, mas que mesmo assim, não se quebram.

    Realista e visceral

    A trama não deixa de mostrar como esses personagens sofreram ferimentos graves ​​e traumas a cada dia e a série explora tudo isso com muita habilidade. Mesmo fora dos jogos, o nível de tensão e paranoia é intenso. Não existe um momento de paz para os jogadores. Cada vez mais, os personagens deixam sua humanidade de lado para sobreviverem mais um pouco. É impactante como os jogadores são afetados e como os organizadores são indiferentes ao sofrimento alheio.

    Cena de Round 6, série da NetflixReprodução

    A empatia de Gi-hun

    Bons heróis são importantes para qualquer gênero, por isso Gi-Hun se destaca. Sempre pronto para ajudar e até defender os fracos, não deixa de lutar pelo que considera certo até o fim. Ele sente cada morte e certamente não quer morrer, mas realmente se preocupa com os amigos, até o fim. Mesmo quando é obrigado a eliminar um companheiro, ele faz com muito respeito.

    Criatividade

    Sem dúvida, um fator que chama muita atenção nessa obra é criatividade dos cenários, figurinos e jogos. Da roupa dos vilões, aos cenários das partidas, tudo é pensado nos mínimos detalhes e o contraste entre ricos e pobres é escancarado no visual. Impossível não parar e reparar nas escadas que levam aos jogos, nas mudanças dos quartos dos jogadores, nos ambientes e máscaras dos VIPs. 

    Os jogos, em si, são baseados em brincadeiras de criança, mas levados a um novo nível de sadismo. Fora do jogo, a beleza aparece também na própria Coreia, mas sempre reforçando a decadência da cidade de Seul, em contraste com a riqueza do local.

    Cena de Round 6, série da NetflixReprodução

    Boca a boca

    Esses elementos citados acima fizeram dessa série algo único, capaz de agradar até públicos de franquias distópicas, terror e dramas. É tão boa que já pode ser comparada com os grandes clássicos e o próprio CEO da Netflix, Ted Sarandos, afirma que esse pode ser o maior programa do serviço de streaming, já é o maior de língua não inglesa. Então, não é um espanto que as pessoas falem e indiquem essa produção aos amigos.

    A série

    Nessa competição de sobrevivência um tanto misteriosa, 456 participantes disputam entre si várias rodadas de jogos coreanos infantis cujo prêmio final tornará o vencedor um bilionário.

    Tudo começa quando um convite estranho chega para pessoas que estão precisando desesperadamente de dinheiro. O objetivo? Convocá-las para um jogo que pode salvar suas vidas.

    Cartão de convocação de Round 6Reprodução

    Os 456 participantes se veem confinados em um lugar secreto para competir uns com os outros em busca do prêmio de 45,6 bilhões de wones, equivalente a R$ 208,5 milhões, na cotação atual.

    Cada disputa é um jogo infantil tradicional na Coreia, e os perdedores pagam o preço do fracasso com a própria vida. Agora resta saber: quem será o grande vencedor da competição? E quem está por trás desse jogo?

    Assista

    A incrível série está disponível na Netflix. Veja o trailer:

    Veja mais