Por que Scooby-Doo merece ser um dos mais vistos do streaming?

Os live-actions do personagem deram o que falar ao assumirem a primeira posição no top 10 da Netflix

13/10/2020 19h45

Por Thamires Viana

Não é só na Disney que os live-actions fazem sucesso entre o público. Lá em 2002, chegou aos cinemas Scooby-Doo, filme que trazia a turma que adora desvendar mistérios acompanhados do amado cachorro falante e medroso. Nas bilheterias mundiais, o divertido filme somou mais de US$ 275 milhões de dólares, rendendo cerca de 3 vezes mais do que seu orçamento na época.

Dezoito anos depois de sua estreia, o longa ganhou as redes sociais na última semana após chegar ao catálogo da Netflix e assumir o primeiro lugar no top 10 de filmes mais vistos no Brasil. Enquanto uma parte do público defendia a permanência da atração na lista, outros questionavam os motivos do filme ainda fazer tanto sucesso entre o público. Ao lado dele, estava a sequência Scooby-Doo 2: Monstros À Solta, lançada em 2004.

Popular e nostálgico

Cena de Scooby-Doo 2002

Não dá para negar que Scooby-Doo é nostálgico e, claro, muito divertido. Lançada em 1969, a atração se tornou o segundo desenho americano com maior número de temporadas de todos os tempos, somando 23 temporadas com cerca de 256 episódios. Desde então, a história de Scooby, Salsicha, Velma, Daphne e Fred enraizou na cultura pop e divertiu as crianças ao redor do mundo inteiro.

Com tramas sempre divertidas, acompanhamos o grupo cercado de mistérios, quase sempre sobrenaturais, e tentando desvendá-los a bordo da van chamada Máquina Mistério. Um dos maiores acertos dos filmes em live-action foi chegar aos cinemas trazendo toda essa bagagem nostálgica aos fãs que se divertiam com o desenho, além de introduzir sua história para um novo público. Isso faz dele uma atração imperdivel, já que exerce o poder de passar essa herança audiovisual à frente. Recentemente, Scooby! - O Filme, uma nova versão da animação, fez sua estreia e vem rendendo bons números de bilheteria.

E vale lembrar que nem só nas telas a turma do Scooby-Doo fez sucesso entre o público. Brinquedos, jogos, acessórios escolares e até roupas se tornaram populares entre as crianças e jovens que amam essas histórias.

James Gunn

James Gunn no set de Guardiões da Galáxia (2)

E você sabia que os roteiros de Scooby-doo e Scooby-doo 2: Monstros À Solta foram escritos por James Gunn, o renomado diretor de Guardiões Da Galáxia? Antes de assumir longas memoráveis no MCU, o americano deu vida à história da turma do Scooby-Doo para as telonas e não decepcionou ao abordar um enredo novo para o live-action, sem deixar de lado o clima descompromissado e nostálgico do famoso desenho.

No primeiro filme lançado em 2002, seguimos a turma se reunindo após dois anos para investigar um mistério em um popular parque de diversões de terror. Já no segundo, os cinco amigos investigam os planos de um vilão mascarado que quer controlar a cidade de Coolsville usando uma máquina criadora de monstros.

Unindo o melhor da aventura com um CGI duvidoso, mas assertivo, de Scooby, os longas fizeram sucesso e reafirmaram que trazer nostalgia é um dos ingredientes chaves para mexer com a emoção do público.

Elenco

Cena de Scooby-Doo 2002

O elenco dos dois filmes é também um diferencial, já que traz atores adorados pelo público como os integrantes da famosa turma do Scooby-Doo. Freddie Prinze Jr., que vive o Fred Jones, fez muito sucesso em filmes como Ela é Demais e Eu Sei O Que Vocês Fizeram No Verão Passado. Já Sarah Michelle Gellar interpreta Daphne Blake, e marcou seu nome do cinema atuando em Segundas Intenções e Pânico 2.

E, caso você não lembre, Rowan Atkinson, o adorado Mr.Bean, também integrou o elenco como o personagem Emile Mondavarious, um dos vilões do primeiro filme. Outros nomes como Linda Cardellini, como Velma, Matthew Lillard, como Salsicha, e Neil Fanning, como a voz de Scooby-Doo, também fazem parte da atração. 

Scooby-Doo e Scooby-Doo 2: Monstros À Solta estão disponíveis no catálogo da Netflix. 

 

Veja também:

Entre Facas e Segredos é o live-action que Scooby-Doo merecia

Crítica: Scooby-Doo - O Filme

Animações: como a adaptação vai muito além da fantasia

Adaptações no cinema: livros, videogames, quadrinhos e animações

Entenda como Doutor Estranho e Homem-Aranha podem mudar a Marvel

Adaptações para o cinema: como a arte deve extrapolar o formato


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus