cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Previsões que Hollywood acertou (e errou) sobre o século XXI

    Pizza online e realities shows? Certo. L.A. sitiada e viagens no tempo? Errado.
    Por da Redação
    11/08/2021 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Embora o homem (ou o Elon Musk) ainda não tenha criado uma máquina do tempo efetiva, Hollywood já se aventurou em adivinhar o futuro da humanidade em algumas produções, especialmente nas de ficção científica. Pois, como não brincar de adivinho ao traçar o estado da Terra em 20, ou 30 anos, quando se está produzindo um filme ambientado em futuro distante ou alguma distopia de luxo, como The Handmaid's Tale? Mas certamente o tiro pode sair pela culatra, quando essas “previsões” têm prazo de validade. 

    Filmes realizados durante os anos 1980 ou 1990 que procuravam refletir como seria a vida na Terra nos anos 2000 em diante logo foram (re)descobertos em serviços de streaming por uma nova geração e, rapidamente, viraram meme nas redes sociais, seja por conta dos acertos ou — principalmente — dos erros (grotescos, em alguns casos) que os estúdios tentaram antever na hora de “incorporar” as faculdades divinatórias e predizer o futuro. 

    Confira a seguir alguns casos em que Hollywood mandou bem, e outras nem tanto, na hora de prever como seria o Século XXI

    Lembrando que o Século XXI é o período que corresponde as datas a partir de 1 de janeiro de 2001 em diante. Ou seja, apenas produções lançadas em datas anteriores a este intervalo de tempo serão consideradas na seleção.

    O Show de Truman (1998) previu corretamente

    Em O Show de Truma (1998), acompanhamos a vida de Truman Burbank. Com câmeras espalhadas ao redor em uma cidade fictícia, o mundo tem acesso à vida de um homem 24h por dia, 7 dias por semana. Mas o experimente, para ele, é a realidade. 

    O filme dirigido por Peter Weir, que conta com uma performance matadora de Jim Carrey — injustamente esnobado ao Oscar, era apenas uma comédia satírica que procurava apontar as falhas de um mundo moralmente falido, mas parece ter previsto a explosão do formato de realities shows da década seguinte, com a ascensão de títulos como Big Brother, Keeping Up with the Kardashians, Survivor, entre outros.

    O Mensageiro (1997) não acertou

    Imagem de O MensageiroDivulgação

    O Mensageiro (1997) mostra um cenário pós-apocalíticos dos Estados Unidos após a queda do governo. Vivido por Kevin Costner, o mensageiro-título é um homem que se disfarça de carteiro para plantar sementes que um novo governo está por vir, para tentar motivar os sobreviventes a lutar contra as novas forças que movem o país. 

    Esse distante futuro acontece no ano de 2013, aliás. Embora o governo americano ainda não tenha caído de forma tão drástica, seu serviço postal segue bem até o momento. O mesmo já não pode ser dito sobre o brasileiro...

    A Rede (1995) acertou em cheio!

    A Rede (1995), estrelado por Sandra Bullock, é um daqueles primeiros filmes que ilustra o que seria da internet de uma maneira muito cafona. Ambientado nos anos 1990, mas tentando captar uma realidade um pouco mais avançada tecnologicamente, a produção retrata o roubo de identidades antes que a prática se tornasse algo comum.

    Sendo que a principal previsão de A Rede não é a trama principal envolvendo falsidade ideológica. Definitivamente o grande “destaque mediúnico” do filme é o momento em que a personagem vivida por Bullock pede uma pizza pela internet. O que deve ter parecido uma ideia absurda nos anos 1990 é algo praticamente indispensável hoje em dia. Imaginem só: o que seria da humanidade, especialmente em temos pandêmicos, sem a praticidade dos serviços de delivery de comida? Ainda bem que essa previsão foi certeira.

    Timecop - O Guardião do Tempo (1994) infelizmente também errou

    Imagem de Timecop - O Guardião do TempoDivulgação

    O filme Timecop - O Guardião do Tempo (1994) é simplesmente uma das produções feitas para figurar em uma publicação como esta. Isso porque a trama do filme gira em torno de viagens do tempo promovidas pelo avanço tecnológico. 

    Mas, infelizmente, como nem tudo são flores, a principal previsão do filme noventista, é uma baita furada. Ambientado em 2004, não é nem preciso elaborar que viagens no tempo não somente (ainda) não existem, como também não são supervisionadas por um departamento federal exclusivo. Uma pena!

    Mens@gem Para Você (1998)

    Imagem de Mensagem para VocêDivulgação

    Em Mens@gem Para Você (1998), acompanhamos como Tom Hanks e Meg Ryan foram os verdadeiros percursores por trás do movimento dos namoros virtuais. No filme, o par se conhece através de um serviço de mensagens de e-mail do AOL que funciona para formar pares. Basicamente um mensageiro-beta que deve ter servido de inspiração para aplicativos como OKCupid, Tinder, Bumble, entre outros. 

    Mas ao contrário do que se imagina, o intuito da produção era o de mostrar que, embora a tecnologia pudesse avançar ao ponto de alguém flertar de online, a melhor forma de estabelecer uma conexão romântica sempre seria pessoalmente. Esse raciocínio talvez não tenha envelhecido tão bem assim,  mas os serviços online de relacionamento definitivamente conquistaram seu espaço no mercado dos relacionamentos. 

    Fuga de Los Angeles (1996) errou

    Fuga de Los Angeles (1996), a distopia de John Carpenter estrelada por Kurt Russell,  imagina um futuro da cidade de Los Angeles em que um terremoto atinge o distrito causando uma grande mudança sociocultural. Quando a catástrofe atinge o vale de São Fernando, inundando a cidade, Los Angeles se torna uma ilha, com direito a um governo independente aos Estados Unidos, e um presidente vitalício. E tudo isso acontece no ano de 2013. Embora Los Angeles tenha sido atacada por alguns terremotos e outros desastres naturais, nada foi tão impactante assim. 

    Leia mais