cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Punho de Ferro é o primeiro tropeço da parceira Netflix e Marvel; Veja análise

    Analisamos os seis primeiros episódios da série que estreia em 17 de março
    Por Daniel Reininger
    09/03/2017

    Após a parceria entre Marvel e Netflix nos proporcionar os ótimos Luke Cage, Demolidor e Jessica Jones, todos esperavam outro acerto, mas Punho de Ferro erra a mão e não consegue nem chegar perto de seus predecessores. Todos sabiam que as coisas estavam destinadas a dar errado em algum momento e melhor o problema aparecer agora do que atrapalhar a esperada união dos Defensores.

    Não que as outras séries da parceria não tenham problemas, todas tem alguma questão que podemos apontar como erro, mas suas virtudes ainda superam de longe os pontos negativos. E isso não acontece com Punho de Ferro, série com data de estreia marcada para 17 de março no serviço de streaming.

    A série se mostra uma grande decepção com graves problemas narrativos já nos primeiros seis episódios disponibilizados aos críticos. O protagonista não é carismático, falta o realismo das outras séries da Marvel e os antagonistas são fracos, com subtramas irrelevantes.

    Danny Rand (Finn Jones, o Loras de Game of Thrones) é o herdeiro de um império empresarial. O problema é que ele retorna a Nova York depois de 15 anos para reivindicar sua identidade, mas os atuais donos da empresa, Ward (Tom Pelphrey) e Joy (Jessica Stroup) Meachum, ascenderam ao topo e não estão interessados em aceitar que o desconhecido com visual hipster assuma como sócio majoritário da empresa de bilhões de dólares.

    E os seis episódios vistos por nós basicamente giram em torno dessa questão e, de forma mais sutil, na luta contra O Tentáculo, misterioso grupo de ninjas infiltrado na empresa de Rand e responsável pela chatice do final da segunda temporada de Demolidor. O mais estranho (e conveniente) é que Danny passou 15 anos em treinamento para se tornar o Punho de Ferro, o único capaz de destruir o Tentáculo, segundo lendas. Se você não ficou com preguiça da série só de ler esses últimos dois parágrafos, então as chances de você gostar aumentam muito.

    Punho de Ferro

    Fato é: Danny é um protagonista irritante, com jeito de perdido e sem a atitude zen que você esperaria de alguém que passou 15 anos num monastério místico. Sua crise de identidade e passagem por um manicômio são absurdamente genéricas. O Tentáculo é o ápice da "organização secreta oriental que emprega ninjas" e nunca faz nada realmente. Os empresários e executivos da Rand, inclusive Joy e Ward, são caricatos e parecem tão perdidos na vida quanto Danny. E até as amizades que o herói faz na cidade são forçadas.

    Visualmente, a série também perde em relação às antecessoras. Os cenários empresariais são simplórios, faltam cenas nas ruas da cidade, os flats milionários não têm personalidade e até mesmo as lutas são desinteressantes. Falta inspiração para os combates, sempre com movimentos genéricos de Kung Fu e pouca intensidade. A série até tenta recriar a incrível luta no corredor mostrada na primeira temporada Demolidor (quem viu lembra da cena, com certeza), mas Punho de Ferro falha miseravelmente até nisso.

    Além disso, o flashback do acidente de avião que matou a família de Danny é reutilizado à exaustão, é como se todas as outras cenas que poderiam aprofundar o personagem não tivessem sido gravadas e foi preciso aproveitar a mesma. O passado do herói no monastério também permanece um mistério, então sua habilidade fica meio sem explicação ou contexto. E, dada a personalidade e falta de presença física do personagem, faz muita falta.

    Claro que foram apenas seis episódios e a série pode melhorar muito nos sete restantes, afinal a esperança é a última que morre, mas nesse início é difícil se importar com qualquer um dos personagens ou entender realmente as motivações de antagonistas e mocinhos.

    Com séries como Legion, Luke Cage e até Agents of S.H.I.E.L.D. (que melhorou muito) mostrando como é possível adaptar quadrinhos para a TV, Punho de Ferro fica devendo. Minha única motivação para ver o restante dos capítulos é saber qual será o gancho para Os Defensores e para matar a curiosidade mórbida se a série melhora ou não até o final.

    Veja o trailer: