Saiba como Dirty Dancing, com Patrick Swayze, marcou uma geração

O longa de dança que traz o saudoso astro e Jennifer Grey completa 33 anos

21/08/2020 09h30

Por Alexandre Dias

Se há uma definição de clássico dos anos 1980 é Dirty Dancing - Ritmo Quente. O filme de 1987 completa 33 anos nesse mês de agosto e é sinônimo de nostalgia, afinal, marcou uma geração inteira. 

Romance, números de dança e músicas icônicas tornaram a produção dirigida por Emile Ardolino (Mudança De Hábito) um símbolo das telonas, que resultou em mais de US$ 217 milhões na bilheteria mundial para um orçamento de US$ 6 milhões. 

Com o aniversário do longa, vamos relembrar antes de você revê-lo o porquê estamos falando de um clássico:

Romance 

Nada como uma boa história de amor para cativar corações, não é mesmo? Na trama, Baby (Jennifer Grey) é uma jovem que vai passar férias com sua família em um hotel e lá conhece o charmoso instrutor de dança Johnny Castle (Patrick Swayze), por quem se apaixona. Após um imprevisto, ela substitui a parceira de dança do professor durante um concurso.

Há dois motivos que tornam essa paixão uma das mais famosas do cinema. Um deles é o contexto sempre efetivo de Romeu e Julieta, ou seja, o casal que não deveria ser um casal. As realidades financeiras paradoxais de Baby e Johhny e a reprovação dos pais dela sobre o mundo da dança - o mundo do instrutor - aumenta a empatia do público para com a situação deles e, consequentemente, a torcida para que fiquem juntos. 

Dirty Dancing

A segunda razão é a química de Jennifer Grey e Patrick Swayze. A dinâmica dos dois é incrível, tanto nas cenas mais fofas de amor como nas apresentações. Swayze também merece um destaque à parte; o saudoso ator, que faleceu em 2009, não era apenas um galã, mas uma avalanche de carisma nas estruturas de trama das décadas de 1980 e 1990. 

Dança

Ao lado de Footloose - Ritmo LoucoGrease - Nos Tempos Da Brilhantina e Flashdance - Em Ritmo De Embalo, Dirty Dancing compõe o time sagrado de filmes de dança. O espectador simplesmente não consegue assistir sem mexer os pés!

O fato da dança ser parte da trama é primordial, por fazer o público realmente entrar naquele universo, ao invés de admirar alguns passos bonitos de longe, como um clipe. Não à toa, os treinos são alguns dos momentos mais legais. 

Porém, não há como não colocar em um pedestal a apresentação final. É a superação de Baby e Johnny de todos os obstáculos e com a pose icônica dele erguendo a parceira. 

Músicas

Time of My Life, de Bill Medley e Jennifer Warnes, é um hino atemporal. A canção do último número de dança traz toda a intensidade da cena, por isso está até hoje no imaginário do público e continua a ser revisitada. Em 2010, por exemplo, o Black Eyed Peas fez uma releitura eletrônica da música em The Time (Dirty Bit)

 

Outros sucessos extremamente nostálgicos também marcaram o longa, como Hungry Eyes, de Eric Carmen, que é tocada durante o treino de Castle e Baby; e Do You Love Me, do The Contours, e Love Man, de Ottis Redding, utilizadas no primeiro encontro do casal.

Novo filme

Como toda marca de sucesso, Dirty Dancing terá um novo filme. Segundo a Variety, o projeto contará com o retorno de Jennifer Grey. A atriz também ocupa o cargo de produtora executiva. 

O CEO da Lionsgate, Jon Feltheimer, revelou que o diretor do longa é Jonathan Levine (Casal Improvável) e deu uma declaração de deixar qualquer fã da produção original super empolgado, afirmando que "será exatamente o filme romântico e nostálgico que os fãs da franquia esperam".

 

Nesta matéria você leu sobre: Dirty Dancing - Ritmo Quente, Mudança De Hábito, Footloose - Ritmo Louco, Grease - Nos Tempos Da Brilhantina, Flashdance - Em Ritmo De Embalo, Casal Improvável.

Veja também: 

Como era o visual dos ícones pop dos anos 70 e 80

TOP 6 - Filmes para dançar


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus