cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    Lana Condor revela como sucesso a afetou psicologicamente após Para Todos os Garotos que Já Amei

    Atriz também comentou sobre a franquia de sucesso
    Por Daniel Reininger
    09/02/2021 - Atualizado há 5 meses

    Para Todos os Garotos que Já Amei é um sucesso da Netflix, com direito a duas sequências. Aproveitando, saiba um pouco mais sobre a estrela Lana Condor e sua relação com a franquia, especialmente como o sucesso a afetou, mas como deu a volta por cima.

    Quem é

    Lana nasceu no Vietnã em 11 de maio de 1997 e foi adotada por um casal norte-americano. Seu pai, Bob Condor, foi duas vezes indicado como jornalista ao Prêmio Pulitzer e também se tornou Vice-Presidente do Yahoo Sports.

    Condor fez sua estreia no cinema no papel da mutante Jubileu no filme X-Men: o Apocalipse, de 2016. Em seguida, apareceu no drama O Dia do Atentado, sobre o ataque à Maratona de Boston. No ano seguinte, co-estrelou o thriller romântico para a televisão High School Lover, ao lado de James Franco.

    Finalmente estrelou o sucesso da Netflix Para Todos os Garotos que Já Amei, lançado em 2018. Ela também apareceu como Koyomi no filme de ficção científica de 2019, Alita: Anjo de Combate, baseado na série de histórias em quadrinhos de Yukito Kishiro.

    Além de atriz, é dançarina e chegou a dançar com o Los Angeles Ballet.

    Revelação

    Em uma entrevista para Self, a estrela falou sobre como o sucesso do primeiro filme afetou sua saúde mental. "[O filme] foi recebido muito melhor do que eu jamais podia imaginar em meus sonhos", explicou Condor. "Minha vida mudou rapidamente."

    Com o sucesso, ela passou a trabalhar mais do que devia. “Eu estava dizendo 'sim' para tudo porque é uma oportunidade única na vida e você quer capitalizar em cima disso e sentir que está abraçando tudo por completo."

    O resultado, Condor revela, é que ela "nunca se sentiu tão horrível mentalmente": "Eu estava exausta".

    Eventualmente, Condor conversou com sua equipe para que soubessem como ela se sentia: "Eu tive um momento em que simplesmente chorava e dizia a eles que não me sentia bem. E todos ficaram chocados porque eu nunca falei sobre meus sentimentos. Ninguém sabia. Quando tive aquela conversa com eles, foi como um novo começo. Agora eu sei o poder de compartilhar essas coisas."

    Ela ainda elogia o apoio da família. “Minha mãe e meu pai me dão muito apoio. Nós conversamos sobre 'Lana, você precisa parar. Você está claramente infeliz'... [E eu disse] 'OK, vamos descobrir a raiz disso'. Meus pais têm sido uma grande caixa de ressonância.”

    Lana concluiu que, uma vez que decidiu ser aberta com as pessoas ao seu redor sobre suas lutas, ela se sente melhor: "Sinto que posso fazer o que amo e também ser a pessoa que quero ser para mim".

    Continua após o anúncio

    Veja a postagem da atriz sobre a entrevista

    A Franquia

    Ao Cineclick, a atriz revelou: "Lara Jean é uma alma antiga e ela precisa balancear seu lado infantil, mas também está bem de estar sozinha. Tudo que Lara Jean passa, é sua primeira vez e é preciso lembrar disso".

    Lana ainda comentou sua parte favorita dos longas. "Minha parte favorita é do segundo filme, quando Lara vai até Gen e você não sabe que algo está acontecendo, a menos que pergunte. Provavelmente todos estão passando por muito mais do que deixam transparecer", explica ao Cineclick.

    Para ela, o público abraçou a franquia porque era o que muita gente precisava na época. "Eu acho que é como canja de galinha: quando você assiste, é bom. Há muita negatividade atualmente no mundo e é muito fácil ficar triste e infeliz, mas acho que o filme proporcionou uma pequena fuga com suavidade e doçura. As pessoas só precisam rir um pouco. Nós não rimos o suficiente", explicou ao GQ.

    Em entrevista ao Hollywood Reporter, Lana falou sobre o terceiro longa. "É o último ano no colégio, então ela tenta descobrir o que fazer no futuro, como fazer escolhas sobre o que é certo para você contra o que você quer no momento porque quer ficar com alguém. Isso é muito difícil, não é?", explica a atriz.  

    "O que eu posso dizer é que ela se depara com algo real, escolhas reais da vida. O que eu amo no terceiro filme é que ela mergulha completamente nela mesma. É um começo, meio, fim e para mim isso foi ótimo como atriz, porque eu pude ter todo o tempo do mundo para interpretá-la, crescer e estar satisfeita com o modo como terminamos as coisas", completa. 

    Filmes

    Na trama do original, Lara Jean adora escrever cartas de amor secretas para seus paqueras. Só não contava que um dia elas seriam misteriosamente enviadas,  virando sua vida de cabeça para baixo.

    No segundo, Lara Jean não esperava se apaixonar por Peter Kavinsky (Noah Centineo) quando eles fingiam namorar e a relação dos dois deixou de ser artificial. Só que, ao se reconectar com uma paixão do passado, John (Jordan Fisher), tudo fica ainda mais complicado para a jovem.

    E no terceiro filme, chamado Para Todos os Garotos: Agora e Para Sempre, Lara está prestes a se formar e iniciar uma nova fase de sua vida. Durante duas viagens marcantes, ela começa a avaliar como ficará sua relação com a família, os amigos e o namorado após a formatura.

    Os três longas que adaptam as obras da autora Jenny Han estão disponíveis na Netflix.

    Trailer de Para todos os garotos: Agora e para sempre: