Série de Sandman promete mexer com as estruturas da cultura pop

Saiba o que esperar da obra-prima de Neil Gaiman

05/10/2020 16h00

Por Daniel Reininger

Sandman, de Neil Gaiman, revolucionou os quadrinhos na década de 1990. Embora tenha começado como parte da DC Comics, logo ficou claro que a história não se encaixava no mundo de Superman. Foi assim que a editoria Vertigo Comics nasceu. Lar de HQs clássicas, como Preacher, nenhuma chegou aos pés dessa obra-prima.

Trinta e um anos após a estreia da trama de terror gótico de Gaiman, a história vai virar uma série da Netflix. Neil Gaiman (American Gods), David Goyer (O Homem De Aço) estão produzindo e o roteirista de Mulher-maravilha, Allan Heinberg, atuará como showrunner. Enquanto não chega a hora de ver o Sonhar, a Morte e o resto do Perpétuos, vamos matar a ansiedade revelando tudo sobre a série.

O que é

Sandman é uma premiada série de histórias para adultos, escrita por Neil Gaiman e publicada pela Vertigo, famoso selo da DC Comics. Suas histórias descrevem a vida de Sonho (também é conhecido como Morpheus, Sandman, Oneiros, Moldador, Kai'Ckul, senhor do sonho e vários outros em línguas), o governante do Sonhar (o mundo dos sonhos) e sua interação com o universo, os homens e outras criaturas. Essa foi a primeira HQ a entrar na lista dos best-sellers literários do The New York Times.

Sandman é um conto que explora o significado da família, questiona o que a realidade realmente é e explora a importância da imaginação. E faz tudo isso com uma estética gótica impressionante. "Sandman é uma história muito compacta, embora se passe por todo o tempo e espaço", comenta o próprio Gaiman durante a DC FanDome.

A trama é vista do ponto de vista de Sonho, um dentre os sete perpétuos, inicialmente preso por um grupo de humanos que almejava prender sua irmã mais velha, a Morte, para que se tornassem imortais, mas ao falharem, o capturam no lugar.

Os Perpétuos são manifestações antropomórficas de aspectos comuns a todos os seres vivos: Destino, Morte, Sonho, Destruição, Desejo, Desespero e Delírio. Os 7 perpétuos não são deuses, mas sim entidades responsáveis pelo ordenamento da realidade conhecida. Só sua existência mantém o universo e todos os seres vivos coesos.

A primeira história relata exatamente sua captura por um mago chamado Roderick Burgess, em 1916. Sonho permaneceu aprisionado numa redoma de vidro por cerca de setenta anos antes de conseguir se libertar. Após escapar, em 1988, ele deve recuperar seus objetos de poder: a algibeira de areia dos sonhos, seu elmo e o rubi dos sonhos. Ainda em um estado enfraquecido, confronta uma viciada em sonho em pó, as legiões do Inferno e um louco.

Diferenças

Até por isso, a adaptação será um pouco diferente dos quadrinhos. "O que estamos fazendo com a Netflix é dizer 'ainda vai começar em 1916, mas a trama do primeiro volume não vai começar em 1988. Começará nos tempos atuais'. E como isso muda a história? O que isso nos dá? O que isso nos faz ter que diferente de uma obra de época? Como isso afeta o gênero e a natureza das personagens? O que isso vai fazer com a história? E isso tem sido um deleite absoluto. Porque significa que estamos sempre sendo verdadeiros. Mas isso nos dá uma liberdade tremenda para falar: 'OK, se estivéssemos fazendo agora, o que Sandman seria?'. E isso é muito libertador", explica.

Sandman

O autor disse ainda que está aproveitando esse tempo extra do isolamento social para deixar o roteiro o mais "perto da perfeição possível". "No momento, enquanto a pausa universal está acabando, estamos começando a trabalhar novamente. Estou recebendo e-mails inspiradores e maravilhosos com designs de produção de lugares que eu só tinha visto nos quadrinhos e agora estão sendo renderizados em 3D e preciso comentar sobre cada um deles. É incrível. "

O que esperar

Os trabalhos de Gaiman vêm sendo adaptados para a TV nos últimos anos. Seu romance American Gods se tornou um sucesso no Amazon Prime Video. Good Omens, que Gaiman co-escreveu com o falecido Terry Pratchett em 1990, também ganhou o amor dos espectadores. Como Sandman é sua obra mais inspirada, é possível esperar algo ainda melhor.

Em 75 edições e uma série de especiais e minisséries, Neil Gaiman, junto com artistas de renome como Sam Kieth, Mike Dringenberg, Jill Thompson, P. Craig Russell e Michael Zulli, criaram uma história que não é apenas uma das melhores em quadrinhos de todos os tempos, mas uma das maiores peças da literatura moderna. O mundo de Sandman está cheio de lugares incríveis como o Sonhar e personagens maravilhosos. Ter a chance de ver este mundo ganhar vida é muito empolgante.

Embora não seja o primeiro quadrinho do tipo a ser transformado em um programa de TV ou filme, Sandman é o mais conhecido. Se for um sucesso, poderemos ver um boom de quadrinhos não tradicionais trazidos às telas. Sandman pode abrir a porta para mostrar o que mais existe por aí.

Sem dúvida promete mexer com as estruturas da cultura pop.

Lançamento

Ainda não há data de lançamento para a série da Netflix, nem mesmo previsão de liberação de imagens ou vídeos, mas aguardamos ansiosamente tudo isso.

 

Veja também:

Adaptações no cinema: livros, videogames, quadrinhos e animações

Entenda a relevância de Watchmen


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus