cineclick-logo
    botão de fechar menu do cineclick
  • FILMES
  • NOTÍCIAS
  • CRÍTICAS
  • LISTAS
  • GAMES
  • © 2010-2021 cineclick.com.br - Todos os direitos reservados

    'The Expanse' chega ao final como uma das melhores séries de sci-fi já feitas

    Sexta temporada é um pouco corrido, mas é encerramento digno
    Por Daniel Reininger
    10/12/2021 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Chega ao final uma das melhores séries de sci-fi já feitas até hoje, The Expanse. A sexta e última temporada a consolida como um grande programa, embora seis episódios pareçam pouco para encerrar essa trama grandiosa.

    Situada 200 anos no futuro, The Expanse mostra as tensões da humanidade após a colonização do sistema solar. A história começa quando o desaparecimento de uma mulher leva a algo muito maior, capaz de mudar a história da humanidade.

    Seis temporadas depois, o que começou pequeno termina com um Sistema Solar completamente modificado. 

    A história até agora

    The Expanse foi muito bem recebida pela crítica, mas é um programa caro e foi salva pelo Prime Video quando o canal Syfy a cancelou após sua terceira temporada. Ainda bem, porque assim tivemos a chance de ver mais capítulo incríveis e o fim de uma trama sombria e épica. 

    No universo do show, o sistema solar também passou por uma grande jornada. A descoberta da protomolécula, uma tecnologia alienígena que foi a responsável por abrir um portal para milhares de outros mundos mudou a dinâmica de poder e proporcionou oportunidades incomensuráveis ​​para a humanidade, ao mesmo tempo que causou uma bagunça geopolítica entre a Terra, Marte e o Cinturão.

    Essa turbulência ajudou a fomentar a ascensão de Marco Inaros (Keon Alexander), um Belter determinado a acabar com a opressão sofrida pelo seu povo. E ele faz um bom trabalho quando ataca a Terra com asteroides que matam bilhões.

    The Expanse

    Atores de The Expanse posam para fotoDivulgação

    Sexta temporada

    É mais ou menos por aí que começa a sexta temporada. Seis meses depois dos eventos da quinta temporada, a Terra está em ruínas e ainda é constantemente atacada por asteroides que usam tecnologia furtiva. Marte está em decadência e o Cinturão está em grande parte sob o controle da Marinha Livre de Marco.

    O sistema solar está em guerra total e jogada no cais. E no meio de tudo isso está a tripulação sobrevivente do Rocinante: James Holden (Steven Strait), Naomi Nagata (Dominique Tipper), Amos Burton (Wes Chatham) e a nova membra da tripulação, a assassina em massa reformada Clarissa Mao (Nadine Nicole).

    Esta temporada tem apenas seis episódios, poucos para finalizar uma série tão complexa, mas compreensível tendo em vista o preço de cada um. O problema é que tudo parece corrido e sobra pouco tempo para desenvolver de forma eficiente a história geopolítica do Sistema Solar em meio a todo esse caos. além de finalizar bem o arco dos protagonistas. 

    Mesmo com menos tempo, cada episódio também garante um tempo para aprofundar personagens com os quais passamos a nos importar nos últimos anos, embora não com o mesmo cuidado das temporadas anteriores. Na Rocinante, a maior mudança é a morte do piloto, Alex, retirado da série após acusações de má conduta sexual. O roteiro foca bastante em mostrar como os sobreviventes lidam com a ausência do amigo. Esses momentos garantem momentos emocionantes e realistas sobre como lidar com o luto.

    E claro, existe espaço para Marco e seu filho, Drummer (Cara Gee) Chrisjen Avasarala, muito bem interpretada, como sempre, por Shohreh Aghdashloo. É gratificante ver onde todos esses personagens acabaram suas jornadas com o fim da série, o melhor é ver como todos evoluíram e mudaram conforme o mundo ao redor deles também mudava.

    A temporada termina com algumas coisas bem amarradas, enquanto outras permanecem aberto, exatamente como a vida real, onde nem tudo chega ao final, muito menos ao mesmo tempo. É o fim da jornada para a equipe da Rocinante, que mais do que merece uma pausa, mas ainda existem grandes questões nesse universo que poderia, facilmente, serem exploradas em outra série.

    Cena da sexta temporada de The Expanse, da AmazonReprodução

    Vale assistir

    Vale muito assistir a nova temporada ou começar a ver a série de sci-fi do começo. Baseada nos livros de James S. A. Corey traz histórias profundas, personagens carismáticos e temas complexos. Além disso, os personagens trazem um realismo impressionante, evitando caricaturas e clichês ao máximo. Não existem heróis absolutos e nem vilões absolutos, algo extremamente raro nas telinhas.

    Como nas temporadas anteriores, as sequências de ação são empolgantes. A tecnologia das naves garante algumas cenas incríveis e os cenários extraterrestres garantem cenas lindas. A forma como a física influencia pessoas e naves espaciais está ancorada na realidade e é muito legal de ver tudo isso se desenrolando na tela.

    A sexta temporada finaliza bem a história de uma série incrível de ficção científica, que você precisa assistir hoje mesmo!

    Aproveite que as seis temporadas de The Expanse estão na Amazon Prime Video.

    Veja mais