Voyeur: Conheça o polêmico documentário da Netflix

Gerald Foos era o dono de um motel que observava secretamente seus hóspedes

08/06/2020 14h00

Por Daniel Reininger

Voyeur, documentário da Netflix baseado no livro O Voyeur, do ícone do jornalismo Gay Talese, revela como Gerald Foos, o dono de um motel no Colorado, observou secretamente seus hóspedes por anos sem ser descoberto. Apesar do tema, o filme trata mesmo sobre jornalismo, ética e apuração, enquanto Talese investigava as motivações e fetiches de um homem perturbado.

Mas quem é Gay Talese? Para quem não conhece, ele é um escritor e jornalista norte-americano nascido em 1932, famoso por escrever para o jornal The New York Times e para a revista Esquire nos anos 1960. Ele é um dos responsáveis pela criação do jornalismo literário, movimento que incorpora descrição mais detalhada das cenas e busca um aprofundamento do caráter dos personagens. Talese ficou famoso por artigos sobre o jogador de basebol Joe DiMaggio e o cantor Frank Sinatra.

No documentário dirigido por Josh Koury e Myles Kane (dupla de Journey to Planet X), a trama acompanha como, durante décadas, Gerald Foos secretamente assistia seus hóspedes através de aberturas estrategicamente instaladas no sistema de ar-condicionado, espiando da sua “plataforma de observação” construída no sótão de seu motel. Ele manteve registros dos momentos mais íntimos de seus clientes – desde coisas comuns às mais chocantes – mas, acima de tudo, ele procurou, espiou e documentou estranhos fazendo sexo.

Na época da matéria, Talese foi até Denver conhecer Gerald Foos, que lhe mandava cartas pedindo uma visita do escritor à capital do Colorado. Foos queria contar a Gay Talese sobre o que ele viu durante todos os anos observando a intimidade de seus hóspedes. Eventualmente, Talese cedeu aos pedidos de Foos e foi até a cidade ouvir suas histórias. A publicação original foi publicada no The New Yorker e deu origem ao livro O Voyeur

Voyeur

E para desvendar essa história, Gay Talese transforma Gerald Foos de observador em observado. O longa explora diversas questões éticas: quais os limites de um jornalista em relação ao objeto de sua matéria? Como um repórter pode dar crédito a uma informação obtida de uma pessoa de comportamento tão questionável? Quem realmente é (ou é mais) voyeur: Foos, Talese ou seus leitores?

Tudo isso é discutido a fundo no documentário, intercala as versões do jornalista e do voyeur e permite a troca de acusações entre eles. Talese acusa Foos de voltar atrás no "acordo" que eles fizeram de "contar a verdade e ele viver com isso". E Foos acusa Talese de tratar o trabalho de sua vida como "um maldito jogo".

O longa é bastante interessante e vale a pena pela curiosidade, pela exploração desse fetiche e também pelo lado jornalístico. Veja o trailer:


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus