Será que X-Men: Primeira Classe é o melhor filme da saga mutante?

O longa foi o primeiro com James McAvoy e Michael Fassbender no universo de heróis

13/11/2020 10h00

Por Alexandre Dias

Os X-Men já passaram por bons e maus momentos nas telonas. Desde 2000, os filmes dos mutantes da Marvel são temas de debate entre os fãs e cada um têm as suas preferências. Porém, há nove anos um longa da franquia foi uma tremenda surpresa positiva praticamente de forma unânime entre o público: X-Men: Primeira Classe.

 

A produção dirigida por Matthew Vaughn (Kingsman - Serviço Secreto) trouxe uma nova cara à equipe nos cinemas. Sem dúvida, o projeto foi a alavanca para os filmes subsequentes "diferenciados" da saga, como X-Men: Dias De Um Futuro EsquecidoDeadpool e Logan

Seria Primeira Classe um dos melhores filmes dos X-Men? Antes de revê-lo na Sessão da Tarde nesta sexta-feira (13), vamos provar para você que sim! Confira: 

Diferenciais 

Antes de Primeira Classe, todos os filmes dos X-Men eram extremamente centrados em Wolverine (Hugh Jackman) e nos mutantes clássicos, como Tempestade (Halle Berry) e Jean Grey (Famke Janssen). De certa maneira, o longa de Matthew Vaughn também faz isso ao focar no início da amizade entre Charles Xavier (James McAvoy) e Erik Lensherr (Michael Fassbender), respectivamente, os futuros Professor X e Magento. No entanto, a personalidade de ambos ainda está em formação, diferente do que ocorreu com Logan em X-Men Origens: Wolverine

Ou seja, eles são personagens muito diferentes das versões encarnadas por Patrick Stewart e Ian McKellen; um ótimo exemplo é a hilária cena em que Xavier participa de uma competição de beber cerveja. Além disso, eles estão juntos de outros mutantes inéditos na franquia, como Angel (Zoë Kravitz) e Destrutor (Lucas Till).

Ainda vale destacarmos as retratações de Mística (Jennifer Lawrence) e Fera (Nicholas Hoult). Os dois foram subaproveitados nos filmes anteriores, mas em Primeira Classe foram aprofundados com a temática da aceitação própria dos seus poderes. 

Ambientação

A trama se passa nos anos 60, durante a época da Guerra Fria. A época e o contexto do período são diretamente influentes na trama; o vilão Sebastian Shaw (Kevin Bacon), por exemplo, tem o objetivo de incentivar uma guerra nuclear entre os russos e os norte-americanos. 

Nenhum longa dos X-Men havia sido tão preciso em trazer esse "frescor" de ambientação. Todos seguiam uma linha cronológica nos dias atuais e X-Men Origens: Wolverine pouco se aproveitou de se passar no passado; quase todos os pontos centrais da narrativa, como a experiência da Arma X com Stryker (Danny Huston), foram reaproveitados de outros filmes. 

Portanto, novas possibilidades narrativas, como os futuros distópicos de Logan e X-Men: Dias De Um Futuro Esquecido ou as participações especiais da equipe de mutantes em Deadpool, definitivamente ocorreram por conta de Primeira Classe. O filme foi um tiro no escuro ao não apostar em mais do mesmo e acabou por ditar os próximos passos dos heróis nas telas. 

Cenas marcantes

Além de Primeira Classe ter influenciado em todo universo cinematográfico de super-heróis, também trouxe alguns momentos inesquecíveis, seja por referências sensacionais ou cenas impactantes. Relembre algumas delas:

- Charles salva Erik de se perder no seu próprio ódio e se afogar. Esse também é o momento em que eles se conhecem. 

- Nostalgia: a participação especial de Hugh Jackman como Wolverine. O ator apareceu por poucos segundos, mas agiu exatamente como Logan agiria em qualquer situação: com raiva! 

- A invasão de Sebastian à base dos X-Men, que culmina na morte de Darwin (Edi Gathegi) e a traição de Angel. 

- A cena mais emocionante do longa: quando Charles vê a lembrança mais afetiva de Erik, relacionada à mãe dele. 

- A "cena/meme" do filme: quando Erik pede para ver a Raven verdadeira, ou seja, como Mística. Até hoje esse momento rende memes hilários, mesmo sendo dramático e sensível. 

- A transformação de Hank em Fera após tentar se curar da sua mutação. 

- Erik desvia uma bala e atinge Charles. Essa ação é crucial para "formar" o Professor X, pois o deixou na cadeira de rodas. 

- "Pode me chamar de Magneto", é o que Erik diz no final, já com o traje clássico. É impossível não se mexer na cadeira depois de ver o início da trajetória do vilão clássico. 


Nesta matéria você leu sobre: X-Men: Primeira Classe, Kingsman - Serviço Secreto, X-Men: Dias De Um Futuro Esquecido, Deadpool, Logan, X-Men Origens: Wolverine.

Veja também: 

Novos Mutantes: Do pior ao melhor, confira o ranking dos X-Men

X-Men: Conheça os personagens de Novos Mutantes

X-Men faz 20 anos; saiba tudo sobre os mutantes da Marvel

Raio-x: Entenda a importância dos X-Men para o entretenimento

X-Men: Entenda a cronologia e erros de continuidade dos filmes


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus